Quando me deparo com um grande cavalo, em qualquer disciplina, minha mente sempre me mostra a imagem de um cavalo com grande autocontrole. Confiante, forte e estável.

É o que eu admirei sobre o cavalo nos filmes e livros Black Stallion (O Corcel Negro). Não era sobre quebrar seu espírito … era sobre compreender um ao outro, cavalo e humano usando suas próprias forças únicas.

No livro quando os cavalos estavam encalhados praia foi o conhecimento do menino que os alimentou … e a força dos garanhões que o salvou (lembre-se da cobra?). Mais tarde foi a confiança do menino que permitiu o resgate dos garanhões. Os exemplos continuam ao longo da história e ao longo da vida.

Eu vi cavalos que foram maltratados. Eles são como “robôs”. Alguns ganham em shows. Alguns são despejados quando falham do sistema. Alguns são imprevisíveis mentalmente como saltar ou agir como um robô e agindo por medo … esses cavalos não podem receber ajuda se eles não forem treinados com a compreensão. Estes cavalos não têm autocontrole. Eles estão tentando sobreviver.

Os cavalos que eu mais admiro foram formados e treinados, mas não maltratados. Eles foram moldados por mãos sabias, disciplinadas e corrigidas, mas também permitiram a liberdade do cavalo. Eles têm auto-confiança e auto-controle.

Qual deles você gosta mais?

Você está passando pela vida fazendo o que o mundo diz que está certo, mas se sentindo como um robô? Ou você está levando a vida, vivendo as partes boas e ruins, tornando mais confiante?

Ou talvez seja mais fácil responder a esta pergunta: Você gasta mais tempo com medo ou confiança?

Talvez agora seja um bom momento para um exemplo da vida real. Você notou que eu fiquei ausente na internet por algum tempo? Ou talvez você percebeu que eu não estava aparecendo tão freqüentemente como eu fazia em seu feed do Facebook? Ou talvez você está apenas percebendo só agora …

Eu estava “descansando” um pouco da internet.

Eu adoro blogar e postar no Facebook. Eu adoro responder perguntas e receber feedback. É por isso que amo a Internet..

Mas eu também encontrei estresse. As pessoas nem sempre são gentis em seus comentários. Eu fiquei obcecada com a observação dos números. Me desafiando a fazer melhor. cada vez mais, mais e mais ….

Até que um dia eu percebi que tinha perdido o meu autocontrole. Claro, parecia bom porque “os números” eram bons … mas eu podia sentir que eu estava mais motivado pelo medo do que pela confiança. Medo de que o próximo post não seria melhor do que o último. Medo de que alguém escreveria algo desagradável. Medo, medo, medo.

E eu podia sentir isso rastejando em outras áreas da minha vida. Porque é assim que funciona com as pessoas e com os cavalos. Seja qual for o estado de espírito em que passemos a maior parte do nosso tempo, é quem nos tornamos.

Então eu me desafiei a me afastar. Eu não vou ser capaz de treinar um cavalo para ser melhor do que eu sou. Devo me desafiar com tanta freqüência e tanto quanto desafiar meus cavalos.

Estou feliz por estar mais equilibrada novamente. Eu ainda tenho o conhecimento que eu ganhei, mas agora eu tenho maior autocontrole. Sinto-me mais confiante. Mais forte. Estável

Na prática, auto-confiança e auto-controle andam de mãos dadas.

Não tenho dúvidas de que vou ter dias ruins e escorregar. Meus cavalos também. Mas cometer erros é ok. Receber correção e instrução é muito bom e é algo que eu gosto.

Estou ansioso para este ano! E você? Está?

Escrito por Stacy Westfall, traduzido por DC Marketing Brasil